Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Por um Sporting fiel aos seus pergaminhos

Os desabafos de fiéis Leões

Por um Sporting fiel aos seus pergaminhos

Os desabafos de fiéis Leões

Relembrando quem começou a luta contra o SISTEMA!

É impossível dissociar o ex presidente do Sporting, Dias da Cunha, do termo ‘sistema’ e da sua luta contra o mesmo no futebol. Foi pela arbitragem que o então líder leonino iniciou o seu combate.
 
 
Primeiro muniu-se de conhecimentos suficientes para não ser desmentido nas suas abordagens. O livro de Marinho Neves, Golpe de Estádio, foi a inicial incursão do líder leonino sobre o que era o ‘sistema’. A primeira vez que falou do ‘sistema’, como presidente, com estrondo, foi na época de 2000/01.
 
Após um Beira – Mar Sporting, que os leões venceram por 1-0. Uma arbitragem desastrosa de José Leirós, apesar da vitória leonina, levou DC a dizer aos jornalistas: “temo que o ‘sistema’ esteja de volta.” De que falava afinal? “O ‘sistema’ de que falava e ainda hoje falo, tem o principal enfoque na gestão da arbitragem. A avaliação é completamente desajustada. Os árbitros ou alinham com o status, ou não têm hipótese."
 
Pinto da Costa e o movimento dos presidentes
 
 
Dias da Cunha que identificou Pinto da Costa como um dos rostos do ‘sistema’, teve um período de bom relacionamento com o líder portista.” O FCPorto estava de relações cortadas com o Sporting. Convidei-o, ele aceitou, para almoçar aquando da visita o FCP a Alvalade em 2001. Nesse almoço de direcções Pinto da Costa, no período de intervenções, avançou com a ideia do Movimento dos Presidentes para tratar e resolver os problemas do futebol português.”
 
O Movimento dos Presidentes reuniu várias vezes com todos os emblemas da Primeira e Segundas Ligas, mas terminou com a retirada do Benfica e do Boavista. “Acabou devido a uma reivindicação do Estrela da Amadora. Estava para descer de divisão mas alegou ser o Benfica que teria de baixar de escalão, por ter os ordenados em atraso”, conta Dias da Cunha.
 
O relacionamento com Pinto da Costa findou depois de Soares Franco, então vice leonino, declarar à comunicação social, já em 2003, que “o Papa está a morrer e que os ‘papas’ – ‘alegada referência ao presidente do Porto’ – também morrem!” O líder dos dragões retaliou em entrevista ao Público, afirmando: “Esse senhor não pode ser levado a sério depois de almoço.” Dias da Cunha, por dever de solidariedade institucional, rompeu com Pinto da Costa. No entanto, não deixa de dizer: “ Não tenho razões de queixa. Tudo o que combinámos foi sempre cumprido.”
 
Os Rostos do ‘Sistema’
 
 
Numa entrevista à RTP, já em 2004, Dias da Cunha apontou Pinto da Costa e Valentim Loureiro como os rostos do ‘sistema’. “ Foi após insistência da jornalista [Judite de Sousa] quando eu colocava em causa a gestão da arbitragem. Cumplicidades do passado levavam a que os beneficiados fossem determinados clubes. Isto era e é o ‘sistema’. Na altura Pinto da Costa estava acompanhado por Valentim Loureiro. Agora o ‘sistema’ está mais forte. O FCPorto domina.”
 
O MANIFESTO
 
Os políticos não quiseram saber
 
 
O Manifesto, documento que apontava soluções para os problemas do futebol, foi apresentado a 20 de Janeiro de 2005 e subscrito por Sporting, Benfica, Belenenses e Marítimo. Houve, posteriormente, mais clubes a aderir. “ Criação de um tribunal desportivo; regulação da gestão da arbitragem onde seriam ex árbitros a fazer avaliação, através de uma estrutura própria, supervisionados por um conselho superior composto por juízes do Ministério Público; contas auditadas pela mesma entidade; plano de contabilidade único, marcavam o documento que entregámos aos partidos. Os políticos fizeram vista grossa”, disse Dias da Cunha.
 
PROTAGONISTAS
O terceiro rosto do "Sistema"
 
 
Em 2001 Dias da Cunha e Vilarinho juntaram-se ao almoço. O menu apresentou a defesa dos interesses financeiros e outros, dos rivais. Ficou falado que as apresentações aos sócios seriam em jogos entre ambos.
 
O Frankenstein
 
“O Sistema é um Frankenstein que já fugiu ao criador” a frase foi dita por Dias da Cunha a Pinto da Costa, num almoço de direcções, em 2001. O presidente portista respondeu com o desafio: Movimento dos Presidentes.”
 
Os relatórios de Marinho Neves
 
Durante cinco anos Dias da Cunha recebeu relatórios elaborados por Marinho Neves, que colaborava com o Sporting, onde eram divulgados os movimentos do ‘sistema’. O presidente do Sporting sabia do que falava.
 
Carlos Severino
Versão alargada da síntese publicada na edição de 1 de Outubro de 2011, no Correio da Manhã.
*****************************
Entretanto mudaram-se os tempos e os rosto do dito Sistema passaram a ser outros. O Apito passou a ser encarnado e hoje alegadamente é SAGRADO, com 'padres, rezas, cânticos e primeiro ministro' pelo meio, como analogias aos que se julgam os Donos Disto Tudo.
 
Decidi relembrar este assunto também para que os louros deste combate não sejam atribuídos a Azevedo de Carvalho por si só! É que existe essa mania de colocar o Carvalho como o grande inventor das inovações no Sporting. Pois não é bem assim.
Fica a nota! 
 

5 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

O Cantinho de Alkmaar

Por um Sporting fiel aos seus pergaminhos

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D