Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Por um Sporting fiel aos seus pergaminhos

Os desabafos de fiéis Leões

Por um Sporting fiel aos seus pergaminhos

Os desabafos de fiéis Leões

O que é a demagogia?

Demagogia é um termo de origem grega que significa "arte ou poder de conduzir o povo". É uma forma de atuação política na qual existe um claro interesse em manipular ou agradar a massa popular, incluindo promessas que muito provavelmente não serão realizadas, visando apenas a conquista do poder político.

Um discurso demagógico é, por exemplo, proferido em uma campanha eleitoral com recurso a poderosas técnicas de oratória que irão sensibilizar e aliciar o eleitorado para dar o seu voto. Demagogo é a denominação daqueles que praticam demagogia.

Quando a expressão surgiu, ela não tinha nenhum sentido pejorativo, e os demagogos eram defensores da democracia, como Sólon e Demóstenes. No entanto, a expressão evoluiu na sua forma semântica depois da morte de Péricles, quando novos líderes surgiram e foram fortemente criticados pela sua forma de fazer política.

No sentido figurado, demagogia é uma prática daqueles que aparentam humildade ou honestidade com o intuito de obter favores pouco claros. Outra forma de demagogia é um indivíduo engrandecer a si próprio para atrair o reconhecimento ou admiração dos outros.

Fonte: https://www.significados.com.br/demagogia/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  As aparências iludem

        O demagogo e o mentiroso-compulsivo

 

- Quando em 2012, numa Assembleia-Geral, prometeu 120 milhões de euros para investir no Sporting, hoje conclui-se, que foi somente para promover a sua aparência.

 

- Quando a poucos dias das eleições de Março de 2013, Bruno de Carvalho viajou até Moçambique, supostamente, para se reunir com possíveis investidores, mais uma vez, foi para dar nas vistas, e promover a sua aparência.

 

- Aquando das eleições de 2013, quando este prometeu que entrariam de imediato 15 a 20 milhões de euros, hoje conclui-se, que foi somente para promover a sua aparência.

 

- Já depois de eleito, a banca quase que puxou o tapete a Bruno de Carvalho, tendo que seguir a reestruturação-financeira já em curso - deixada por Godinho Lopes - para tentar manter as aparências.

 

- Quando se tentou passar a ideia que todos os dirigentes do Sporting de 1995 a 2013 prejudicaram o Sporting deliberadamente para proveito próprio, hoje conclui-se, que foi somente para prejudicar a aparência dos seus antecessores, e de certa forma, promover a sua própria aparência.

 

- Quando as auditorias não concluíram nada que não se soubesse já, e mesmo assim, este conseguiu através das suas demagogias, expulsar Godinho Lopes de sócio, foi somente para salvaguardar a sua aparência.

 

- Quando ao fim de apenas 1 ano, se escreveu um livro com o título O presidente sem medo, foi somente para promover a sua aparência.

 

- Quando afirma que é o "salvador" do Sporting, é uma tentativa de promover a sua aparência.

 

- Quando afirmou que a bandeira de Portugal deveria ter mais verde, foi somente para cair em graça dos adeptos, e tentar promover a sua aparência.

 

- Quando um presidente afirma algo como isto: "Funciona como aquele fenómeno fisiológico conhecido como ânus.. de onde sai vento mal cheiroso ou trampa". Mais uma vez, é uma tentativa de ser engraçado, e cair em graça dos adeptos, tentando promover, pois claro, a sua aparência.

 

- Quando rasgou o contrato com a Doyen, e sob esse pretexto, começou a promover-se à sombra de uma posição já conhecida da FIFA de Blatter, mais uma vez, conclui-se que foi somente para promover a sua aparência.

 

- Quando através do dinheiro da Doyen, apresenta um lucro inédito na história recente do clube, e este se vangloria, mais uma vez, foi para promover a sua aparência (e aumentou o seu próprio ordenado para o dobro).

 

- Quando os sportinguistas, só através do Leaks, ficaram a saber que afinal, o Sporting recorria a Caálas e mosquitos para contratar jogadores, e ainda pagava comissões; este, foi armar peixerada com o Pedro Guerra, somente para desviar atenções, e claro está, tentar salvaguardar a sua aparência. 

 

- Quando se empurra a questão das VMOCS, e na dita reunião, estão do lado de fora uns quantos meninos rebeldes da Juve Leo, mais uma vez, é a necessidade de salvaguardar a sua aparência.

 

- Quando um presidente toma a decisão de se sentar no banco de suplentes, e depois de um qualquer jogo, bate com o punho no peito todo eufórico, é para promover a sua aparência.

 

- Quando Manuel Fernandes afirmou que o Sporting comprou fracos jogadores e empatou com a pior equipa da Champions (Maribor), Bruno de Carvalho aproveitou para o humilhar através da SportingTV, tendo inclusive, afirmado que estaria sempre pronto para defender os activos do Sporting (os jogadores por si contratados), tentando salvaguardar a sua aparência.

 

- Quando após uma derrota contra o Guimarães por 3-0, este escreve um post de facebook a colocar em causa o profissionalismo e a própria dignidade dos jogadores (os tais que ele contratou), foi somente para se colocar à margem da derrota, e salvaguardar a sua aparência.

 

- Quando através da SportingTV expôs as divergências internas com Rojo, Slimani ou Jefferson, foi o aproveitar da situação, para tentar passar uma imagem de uma suposta liderança-forte, e assim, promover a sua aparência.

 

- Quando afirmou que o Sporting tem hoje uma "Champions de gestão", foi somente para tentar promover a sua aparência.

 

- Quando se cria um programa chamado a Hora do Presidente, todo ele, é com o propósito de promover a sua aparência.

 

- Quando não conseguiu renovar com André Carrillo, a culpa foi do empresário e do resto do mundo, só mesmo para tentar salvaguardar a sua aparência.

 

- Quando não soube coabitar com o treinador Marco Silva, querendo despedi-lo a meio da época somente por razões de ordem pessoal, mandou o empresário do catering fazer o trabalho sujo, pois claro, para tentar salvaguardar a sua aparência.

 

- Quando tentou despedir Marco Silva a meio da época e os adeptos não caíram na armadilha de José Eduardo, tendo até recebido muitas criticas, sentiu necessidade de marcar uma Assembleia-Geral só para se sentir legitimado, tentando salvaguardar a sua aparência.

 

- Quando se escrevem posts de facebook, ou se dão entrevistas quase diárias, é para tentar promover e salvaguardar a sua aparência. 

 

- Quando afirmou que o Sporting conseguiu o melhor contrato de televisão e publicidade só porque "sim", "esquecendo" tudo o que envolveu os negócios de cada um dos 3 "grandes", foi somente para salvaguardar e promover a sua aparência.

 

- Quando se intimidam sócios que têm opinião, e se televisionam na SportingTV as Assembleias-Gerais com pouco mais de 100 ou 200 pessoas, é para salvaguardar a sua aparência.

 

- Quando um presidente tem monólogos de 2\3 horas nas Assembleias-Gerais só para responder a críticos internos e externos, é porque sente a necessidade de salvaguardar a sua aparência.

 

- Quando se criam guerras contra tudo e contra todos, é somente para agregar os sócios em seu torno, e salvaguardar a sua aparência.

 

- Quando se colocam cláusulas de rescisão de 60 milhões a um qualquer Tanaka e Barcos desta vida, é somente para "valorizar" o activo, e promover a sua aparência.

 

- Quando em entrevista à RTP, afirmou que o Sporting não era conhecido internacionalmente antes de si, foi para promover a sua aparência.

 

- Quando afirmou que recusou 80 milhões a pronto por um jogador, foi uma tentativa (falhada) de promover a sua aparência.

 

- Quando afirmou que "os adversários têm que começar a dar mais luta", foi somente para cair bem perante os adeptos, e promover a sua aparência.

 

- Quando afirmou que "os nossos rivais tremem todos os dias", foi somente uma frase populista que caiu bem perante muitos, e assim, tentou promover a sua aparência.

 

- Quando afirmou "olhem bem para nós aqui em cima no 1º lugar, que daqui não sairemos mais", como sempre, foi para promover a sua aparência.

 

- Quando no final da época, o Sporting nada ganha, e este ordena aos seus soldadinhos do facebook para esperarem e receberem o autocarro do Sporting em clima de festa, tendo este saído para o meio desses miúdos, mais uma vez, foi para salvaguardar as aparências, depois de tudo o que se disse e que se fez.

 

- E ainda depois de tudo, conseguir ter a coragem de reservar no museu um espaço para o título de campeão da época seguinte, é já o cúmulo do egocentrismo. 

 

- Quando faleceu Mário Moniz Pereira, não houve uma mobilização para homenagea-lo, ao contrário do que se fez para festejar um 2º lugar, porque convém que não se perceba que há figuras ímpares na história do Sporting, muito maiores e melhores que Azevedo de Carvalho.

 

 - E quando se processam sócios do Sporting por terem opinião, são tentativas de amordaçar quem lhe possa apontar todas as suas mentiras e contradições, demonstrando toda a sua insegurança e completo vazio de conteúdo.

 

Completem vocês também.  

 

E aqui vai o remate final: quando se olha para o percurso profissional de Bruno de Carvalho, e este cheio de medo, apela em plena Assembleia-Geral, para não o deixarem cair do poder por razões familiares e profissionais do próprio, todas as dúvidas do porquê de tanta propaganda em torno da sua imagem, ficam assim dissipadas!

 

As aparências por vezes iludem. Até um dia que todos acordarão definitivamente do sono! E ai é que serão elas!

 

(Em actualização)

 

Fonte: http://ocantinhodealkmaar.blogs.sapo.pt/as-aparencias-iludem-21658

 

 

Eduardo Barroso criticou a forma de estar e os actos de gestão de Vale e Azevedo.

Através deste vídeo, desde logo se podem fazer várias analogias com o actual presidente do Sporting:

- Aquela pose de quem acha que convence os outros das suas atoardas.

- Promessas ao nível de contratar um Rui Costa (connosco foram os investidores russos e americanos).

- O rasgar contratos com outras entidades.

- O centralismo\presidencialismo, achando que ainda tem que reformular os estatutos para ter o poder total.

- Culpar todos os males do Benfica com os 10 anos anteriores, apelidando os anteriores dirigentes e o futebol português em geral, de muita irresponsabilidade.

- A vitimização perante a comunicação social.

 

Fora desta entrevista, ao longo dos anos, muitos outros episódios fazem lembrar o actual Sporting. Por exemplo:

- O afirmar que era o Salvador.

- A forma como quis despedir Manuel José por justa causa. 

Assembleias-Gerais transmitidas em directo

- Apregoava que lutava contra o "sistema".

- O corte de relações e as constantes provocações aos presidentes de Sporting e FC Porto.

- Por vezes, comportava-se como um adepto. Numa vitória por 1-4 em Alvalade, ao lado de José Roquette, a cada golo, levantava-se e festejava de forma eufórica, demonstrando falta de respeito e pouco sentido institucional.

Num outro jogo contra o Sporting em Alvalade, assistiu ao jogo no meio da claque do Benfica, festejando eufóricamente os golos do seu clube.

- O colocar-se à margem dos 7-0 em Vigo, obrigando todo o plantel, através do capitão João Pinto, a pedir desculpa aos benfiquistas numa conferencia de imprensa (ainda não havia facebook para pôr em causa o profissionalismo dos jogadores).

- Deixou o João Pinto sair para o Sporting a custo zero, por incompatibilidades (Carrillo).

 

Estas personalidades, por vezes, surgem na política como no futebol. Surgem sempre após momentos de crise, e os espertalhões aproveitam a oportunidade, já que o país ou a instituição estão vulneráveis a ouvirem as atoardas do primeiro aventureiro que surgir. Foi assim com o Benfica de Vale e Azevedo, foi assim como este Sporting, como foi em muitos outros casos da história da política.

 

Personalidades que se agarram ao poder e que tentam viver à custa do cargo, seja para conseguir dinheiro ou estatuto social. A sua politica visa sobretudo a reeleição, e não o diálogo aberto e saudável sobre o que poderá melhor servir os interesses da instituição. Logicamente, que nestas circunstâncias, quem perde é a instituição, e o final da história, é um rastro de destruição com as pessoas completamente divididas e a instituição muito mais pobre.

 

Perguntam vocês: e o Bruno de Carvalho está-se a servir do Sporting? Bem, o passado empresarial de Bruno de Carvalho fala por si. Os 10.000€ de ordenado são um luxo, e ele próprio já apelou numa Assembleia-Geral para não o deixarem cair - porque tem família, e em Portugal não consegue emprego. Ou seja: ele próprio assume que está agarrado ao poder por questões que não têm a ver com o Sporting.

 

Fonte: Leia mais em http://ocantinhodealkmaar.blogs.sapo.pt/azevedos-de-hoje-e-de-outrora-1321

Mais sobre mim

imagem de perfil

O Cantinho de Alkmaar

Por um Sporting fiel aos seus pergaminhos

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D