Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por um Sporting fiel aos seus pergaminhos

Os desabafos de fiéis Leões

Por um Sporting fiel aos seus pergaminhos

Os desabafos de fiéis Leões

Uma estrutura liderada por um passarinho

 

16.12.2014

OCTÁVIO MACHADO: «BRUNO DE CARVALHO REVELOU TOTAL DESCONHECIMENTO DO FUTEBOL PORTUGUÊS» 

Record

 

30.04.2015

OCTÁVIO MACHADO: «OU É INTECTUALMENTE POUCO SÉRIO OU MARCO SILVA NÃO CONTINUARÁ»

Record

 

 

Pobre Azevedo... Tiveste que ir buscar alguém que já te dizia das "boas", e mal ele sai do Sporting diz-te outras ainda melhores!

 

Mas para psiquiatra já tens o Daniel Sampaio. Esse e outros da estirpe dele um dia mais tarde é que terão que se explicar. Porque tu no fundo não tens culpa. Afinal, és só um passarinho. lol

Percebe-se bem melhor as caras tensas de Adrien e William após o empate em Chaves em Janeiro

 

"Puxão de orelhas" de Bruno de Carvalho aos jogadores em Chaves:

 -"Se Jesus estivesse lá, na altura estava suspenso, nunca teria acontecido. O presidente do Sporting não teria tido a veleidade de fazer o que fez. Podia ter surgido dali algo de indesejável. As coisas evitam-se. Acredito sinceramente que a presença de Jesus teria evitado aquilo. Com o Jesus no balneário, o Bruno de Carvalho não teria essa atitude".

 

Bruno de Carvalho perdeu o balneário nesse dia?

- "A cena repetiu-se num jogo com o estádio cheio, contra o Belenenses [derrota do Sporting por 3-1. Uma equipa de futebol não pode viver de estados de alma. O presidente disse que tinha lá o pai e a mãe, e eu tinha os meus netos! Os mais jovens não gostam de ver os seus ídolos insultados, por tarjas ou outra coisa qualquer. Os meus netos, com dúvidas, vão aos jogos para cantar, para sorrir. Com todo aquele ambiente solidário, que foi criado em dois anos. Penso que em Chaves, o presidente exteriorizou o que lhe ia na alma. Uma equipa não pode viver disto".

 

Proximidade de Bruno de Carvalho à equipa: 

-"É benéfica. O que pode ser mau é levantar-se e sair do banco com o jogo a decorrer, coisas desse género... Isso é que é mau".

 

Octávio Machado

octaviomachadoJOANASOUSA.jpg

 

 

 

 

 

 

 

"Bruno de Carvalho não teve coragem de dizer-me o que queria" - Octávio Machado

Octávio Machado falou do relacionamento com o Bruno de Carvalho

"Não sei se foi Bruno de Carvalho, não posso fazer essa acusação não tendo a certeza. É uma acusação grave. Continuo sem saber quem foi o nojento, o porco", disse Octávio Machado quando questionado, esta quarta-feira (19-07-2017), sobre quem teria sido o responsável da sua saída do Sporting.

image.jpg

Entrevistado na CM TV, o antigo diretor leonino revelou ainda que outro cargo foi-lhe proposto aquando da saída. "Depois carta que enviei à SAD, reuni-me com um administrador. Queriam que fosse comentador. Perguntaram-me com quem me sentiria mais à vontade, [André] Ventura ou [Pedro] Guerra", contou.

Octávio Machado considera que Jorge Jesus tem hoje uma posição mais fortalecida no seio do Sporting.

"Bruno de Carvalho tem ciúmes de Jorge Jesus? Não, mas se tivesse não seria o único. Jorge Jesus é um excelente profissional que arriscou ao vir para o Sporting", adiantou.

 

Perante a insistência sobre o relacionamento com o presidente, Octávio não foi claro em muitas respostas. " Não gostava do meu trabalho? A mim nunca me disse, nem fez sentir isso. Se o disse nas minhas costas é problema dele. Sai em rota de colisão com cobardes, sem coragem. As pessoas entendem-se a falar. Se queriam alguma coisa de mim, dialogavam comigo"

Questionado se foi traído por Bruno de Carvalho, o ex-dirigente leonino disse: "Não, apenas não foi capaz de dizer-me aquilo que pensava ou o que queria que eu fizesse, olhos nos olhos. É isso que eu esperava. Não acredito que fosse ele na origem das notícias que saíram. Desejava que ele me dissesse aquilo que queria que eu fizesse. Não teve esse coragem e só ele pode dizer porque não o fez"   

O jOGO png.png

 

 

 

Azevedo de Carvalho dá entrevista na Sporting TV e a seguir dois dos seus lambe-botas analisaram!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

É ver... não para crer... porque o Azevedo foi igual a si mesmo!

Insulto fácil, analogias parvas, sarcasmo e peixeirada... não faltaram!

Como não bastasse, Dias Ferreira e José Eduardo vieram a terreiro fazer o seu exercício de lambotismo lamentável!

Não é que morra de amores por Octávio Machado, mas este na sua entrevista até poupou o Sporting e o próprio Azevedo. Por ter-lhe feito uma pequena crítica, foi literalmente arrasado por este!

O síndrome Kim Jong-un neste homem está-lhe nas entranhas!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Espero que o Octávio Machado que tanto se gaba de ser directo e frontal, abra o jogo já que não tem qualquer acordo de confidencialidade!

 

 

Várias dúvidas e perspectivas até ao fecho do mercado

Reforços

 

De todos os que foram contratados até ao momento, penso que só o Doumbia terá capacidade de se impor de forma indiscutível.

 

O resto são para mim incógnitas. 

 

Piccini não acredito que vá fazer muita diferença relativamente a Schelotto. Até poderá ser melhor, mas...

 

Mathieu tenho a certeza que não será melhor que Rúben Semedo.

 

Fábio Coentrão em termos de qualidade técnica vem preencher uma lacuna, mas pela sua eventual condição física também não deixa de ser uma incógnita...

 

O resto nem comento porque acho que nem o Jesus sabe ainda o que pensar deles!

 

Plantel

 

Olhando para o quarteto-defensivo, verificamos que apenas Coates era titular na época passada. Já Paulo Oliveira que era provavelmente o único suplente à altura dos titulares, foi vendido! E se na época passada o Sporting sofreu 36 golos no campeonato (o dobro dos golos do SLB!), há motivos para grandes esperanças quanto à estabilidade defensiva?

 

Quanto a William e a Adrien Silva, em condições normais serão vendidos esta época. Aliás, o Sporting poderia tê-los vendido há muito mais tempo, e actualmente já não estão tão valorizados. Há anos que lhes andam a prometer a saída mais que normal e justa, diga-se. William que conta com 25 anos tem a noção que poderia ter evoluído muito mais como jogador se tivesse ido para Inglaterra com 22 ou 23 anos. Adrien Silva vai a caminho dos 30 anos e sabe que esta será a última oportunidade. Mesmo que apenas saia um jogador, o outro que permanecer (ou mesmo que fiquem os dois) não será um jogador "triste" e psicologicamente desmotivado? Aqui a administração do Sporting deveria ter tido a arte e o engenho de gerir esta questão para que hoje não estivéssemos com o núcleo duro do meio-campo da época passada pronta para deixar um "buraco" no meio-campo. Porque os futuros titulares para além de não terem rotinas, estão muito longe da qualidade dos dois internacionais portugueses...

 

Quanto à linha avançada, penso que o Gelson ficará; e o Doumbia, como já referi, penso que vai claramente acrescentar qualidade. Agora, pela análise feita ao meio-campo, vamos ver se aos avançados lhes serão regularmente dadas boas bolas para rematarem à baliza...

 

Estrutura

 

Quando sai alguém da experiência do Octávio Machado e entra André Geraldes, fica tudo dito.

 

Perspectivas

 

O Sporting até pode fazer um campeonato melhor, mas para quem ficou a 12 pontos do campeão nacional, tenho sérias dúvidas se de um ano para o outro conseguiremos ser melhores que o Benfica e até melhores que o FC Porto que acabou em 2º lugar...

 

Assim, é certo que o plantel de Jorge Jesus vai novamente encarar os jogos europeus como um "frete", com os resultados já conhecidos, tanto no campo como no ranking europeu, não contribuindo também para o ranking português que nos possibilita ou não, de colocar um determinado número de equipas portuguesas na Liga dos Campeões.

 

Dir-me-ão que deveria dar o benefício da dúvida ao invés de escrever um artigo algo pessimista... A questão é que há muito que deixei de estar iludido. Só me deixei iludir até ao momento em que em Dezembro de 2014 se fez o que se fez ao então técnico do Sporting! Já nem tenho idade para acreditar no Pai Natal (ainda por cima vermelho)...

 

Mas se o futuro demonstrar que não havia razões para este "pessimismo", cá estarei para o admitir.

 

Até lá...

 

#apertacomelesbruno

 

 

Tentar perceber o fenómeno do brunismo do ponto de vista psicológico\sociológico

Hoje não há meio-termo. Embora o "brunismo" esteja representado por 86% de sócios, o que é facto, é que hoje em dia o adepto do Sporting ou apoia de forma cega o actual presidente, ou já nem sequer lhe dá crédito para o sequer ver à frente! Não há debate.

 

Em 2013 para além do futebol do Sporting estar a atravessar a maior crise da sua história, não éramos campeões há 11 anos!

 

Isto possibilitou as condições perfeitas para um desempregado (talvez financeiramente apoiado pelo seu psiquiatra Daniel Sampaio) montar uma estratégia de propaganda interna, nomeadamente nas redes-sociais, onde aqueles adeptos mais jovens (pagos ou não-pagos) foram repetindo várias vezes as mesmas falácias até se tornarem "verdade".

 

E depois do poder "assaltado", a estratégia de comunicação-interna reforçou-se ainda mais. É tudo dele, basicamente.

 

Só isso explica que num Circo de 4 anos em que apenas se venceu 1 Taça de Portugal, esse mesmo Circo tenha saído ainda mais reforçado relativamente às eleições de 2013!

 

Como já referi, as "condições" que possibilitaram que um desempregado pudesse "assaltar" o poder ainda se fazem sentir.

 

O que está aqui em causa é a possibilidade do Sporting voltar a ser campeão nacional. E independentemente do Circo dos últimos 4 anos, teoricamente, o Sporting está hoje com muito maior probabilidade de o ser relativamente aos anos pré-Bruno de Carvalho.

 

Isso é o que lhes basta. Mesmo que isto seja um grande Circo que em 4 anos apenas venceu 1 Taça de Portugal pelo treinador que não vestiu o fato!

 

Como é evidente, a nível desportivo o Sporting tornou-se muito fraco, e foi isso que possibilitou que o clube se tornasse "pequeno". E essa "pequenez" é notória no dia a dia...

 

Nestes 4 anos alguma blogosfera como o Camarote Leonino ou o Dia do Clube bem expuseram situações graves, mas que foram tidas como "normais" pela maioria dos adeptos. A exigência não existe. O que existe é a esperança que continuando a perder ou não, um presidente "diferente" do que estávamos habituados, pode finalmente pôr o Sporting a vencer com regularidade. Nem sequer querem pensar. Esses autores se tivessem poupado as teclas do teclado, estas, teriam agradecido!

 

Há 10 ou 15 anos seria impensável que 4 anos "disto" pudessem reeleger um presidente com 86% de votos num clube "grande" como era o Sporting de então (sim, ganhamos campeonatos, taças e fomos a uma final europeia)!

 

Quando alguma dessa blogosfera compara este fenómeno com Vale e Azevedo, não é do acaso. Eu próprio já escrevi um artigo a comparar a gestão de ambos os "Azevedos".

 

O Benfica de Manuel Damásio estava fraco a nível desportivo e financeiro, é verdade. Mas em 1997, quando Vale e Azevedo consegue "assaltar" o poder, na prática, o Benfica só vinha de 3 anos sem vencer o campeonato, e até venceu a Taça de Portugal no ano anterior contra o Sporting.

 

Nada que não possibilitasse (ainda que a muito custo) que alguns notáveis como Torres Couto, Jaime Antunes, António Figueiredo ou Abílio Rodrigues fizessem oposição durante 3 anos, criando condições para que surgisse uma alternativa que pudesse "dar luta" nas eleições de 2000.

 

Já o passado recente do Sporting no pré-Carvalho é de tal forma mau, que assim de repente só me ocorre Rui Barreiro, como o homem que tentou fazer uma oposição concertada, mas com muito pouco impacto perante as actuais e difíceis circunstâncias.

 

Quando uso o termo "Circo", é porque é de facto aquilo que eu sinto relativamente a este Sporting. Escuso de referir "pormenores", pois aqui na blogosfera não faltam alguns blogs (como este) que têm especificado as suas posições relativamente a esta forma de actuar.

 

Pessoalmente vou mais longe: hoje o que me liga ao Sporting é este interesse de ver até que ponto esta bola de neve pode crescer e tornar-se num monstro que levará muitos e muitos anos para ser travado.

 

Pois emocionalmente pouco me dizem as palhaçadas e o público que as aplaude!...

Lembra-se do Lúcio Soares?

Lúcio0001.jpg

 

Há precisamente 50 anos, Portugal convocou o defesa-central nascido em Belo Horizonte que marcou 35 golos em 103 jogos pelo Sporting

Portugal descobriu o Brasil em Abril de 1500, mas o Brasil só chegou a Portugal 460 anos depois. Muito antes de Celso (1976), Deco (2003), Pepe (2007) e Liedson (2009). Mais precisamente a 16 de Abril de 1960, quando Lúcio, nascido em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, foi convocado para a selecção nacional. Assim se abriu o precedente de que também fez parte David Julius, um sul-africano de Joanesburgo posteriormente conhecido como David Júlio.

Os dois jogavam no Sporting e foram chamados pela dupla José Maria Antunes (seleccionador) e Bela Guttmann (treinador de campo), numa altura em que o cargo do primeiro era mais pomposo que o segundo, embora este é que desse o treino e a táctica, além de falar aos jornalistas, como realmente aconteceu antes e depois deste jogo histórico na então RFA, em que a selecção jogou com nove portugueses, um brasileiro e um sul-africano.

Lucio.jpg

 

De pais portugueses, Lúcio era brasileiro (mineiro) de nascimento e veio para Portugal muito cedo. Tinha dupla nacionalidade, o que lhe permitiu jogar pela selecção nacional, embora naquele tempo ainda não houvesse problema em jogar por duas ou mesmo três selecções (Di Stéfano, por exemplo, foi internacional por Argentina, Colômbia e Espanha.)

 

 

No dia 16 de Abril de 1960, há 50 anos portanto, Lúcio recebeu a convocatória.


Com a alegria que as declarações documentam: "Nem me pergunte se isso me dá prazer. Estou feliz e honrado, mas sei que não sou o único. Lá longe, numa casinha em Niterói [arredores do Rio de Janeiro] onde deixei parte do meu coração, um homem e uma mulher devem ter chorado de alegria e de orgulho quando souberam que o filho tinha sido chamado para defender as cores de Portugal. Nasci no Brasil, sim, mas sou português de direito e de sangue. Sabe, é que eu não sou estrangeiro, não", exprimiu-se Lúcio num português abrasileirado perfeito.

 

Naquela altura, Lúcio era um dos destaques do Sporting, porque era baixo e mesmo assim ganhava bolas de cabeça a José Águas, o temível capitão/goleador do Benfica. E porque marcava golos como um avançado.

 

 

Na sua época de estreia, que coincidiu com a primeira internacionalização na selecção nacional, Lúcio marcou nada mais, nada menos que dez golos (sete no campeonato e três na Taça de Portugal), sete deles de grande penalidade. Aliás, este lance era a sua especialidade, de tão infalível que era (ao que parece, era uma espécie de fura-redes: bola para o meio e fé em Deus). Ao todo, entre 1959 e 1964, Lúcio somou a impressionante marca de 35 golos em 105 partidas.

 

No tal jogo particular com a RFA, em Ludwigshafen (onde Portugal chegou de autocarro via Frankfurt, depois de voar Lisboa-Paris e Paris-Frankfurt, a bordo da TAP), o húngaro Bela Guttmann - convidado pela Federação Portuguesa de Futebol a desempenhar a tal função de treinador de campo depois de se ter sagrado campeão nacional pelo FC Porto em 1958-59 - alinhou com Acúrsio (FC Porto) na baliza, Virgílio (FC Porto, capitão), Lúcio (Sporting) e Ângelo (Benfica) na defesa, Fernando Mendes e David Júlio (ambos Sporting) no meio-campo, Matateu (Belenenses), José Augusto, José Águas, Coluna e Cavém (todos do Benfica).

Lucio Soares.png

 

 

Portugal perdeu 2-1 perante 70 mil espectadores (número recorde para alemães e portugueses), com golos de Uwe Seeler (vice-campeão mundial de selecções em 1966) aos 34', Helmut Rahn (campeão mundial de selecções em 1954) aos 62' e Cavém(bicampeão europeu de clubes em 1961 e 1962) aos 70'.

 

Lúcio jogou os 90 minutos e não se ficou por aí. Ainda fez mais quatro jogos pela selecção, o último deles curiosamente no Brasil (vitória canarinha por 2-1), em Maio de 1962.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais aqui

http://www.forumscp.com/wiki/index.php?title=L%C3%BAcio

"Um dia as coisas irão sair cá para fora" - Eric Dier

eric_dier.artigo (1).jpg

 

"Fui à Academia de Alcochete na quinta-feira de manhã para ir buscar as minhas coisas e despedir-me de toda a gente. O presidente estava lá, cumprimentou-me e não disse nenhuma palavra. Seguiu em frente. Não me desejou boa sorte nem nada, o que é um pouco estranho. Estive no Sporting durante 12 anos e saio sem uma palavra do presidente? Para mim, é estranho". Eric Dier lamenta a forma como deixou o Sporting rumo ao Tottenham.

 

O jovem inglês contou ao jornal 'Record' que foi "muito maltratado" em Alvalade, ao longo dos últimos 18 meses:

- "No último ano e meio fui muito maltratado. Nunca vou esconder isso. Para alguém que estava no clube desde os oito anos e que nunca tinha tido problemas com ninguém... Acho que fui maltratado e as pessoas dentro do Sporting sabem disso. Esta não é a altura certa para estarmos a falar sobre tudo, mas um dia no futuro as coisas irão sair cá para fora".

Apesar destas queixas, Dier disse que o Sporting continua a ser a sua "segunda família" e acrescentou: "O problema nunca foi o dinheiro. Nunca ia tomar uma decisão apenas baseada no dinheiro. Tive várias oportunidades para sair e nunca o fiz. Isso demonstra que não era essa a questão. As cláusulas que o Sporting queria impor é que dificultaram as negociações. Queriam meter cláusulas impensáveis".

 

E continuou: "Uma cláusula de 45 milhões de euros implica um ordenado ao mesmo nível. Além do mais, ficamos completamente presos ao clube. Sou um central e queriam-me pôr uma cláusula de 45 milhões com um salário que não justifica esse valor? Nem pensar. Para mim não faz sentido", justificou.

O defesa relatou que a direção de Alvalade não tentou igualar a proposta financeira que os responsáveis do Tottenham apresentaram e, ao mesmo tempo, "deram a entender" que não tinham interesse na sua continuidade.

 

Elogios a treinador e ex-colega - Em relação ao que deixa para trás, em Lisboa, Dier não poupou elogios a Marco Silva: "É um espetáculo. É fantástico. Toda a gente no Sporting gosta muito dele, da sua forma de trabalhar, da sua relação com o grupo de trabalho. Desejou-me boa sorte e que tudo me corresse bem. É um ótimo treinador. Os treinos e a teoria de jogo são muito bons e tem uma mentalidade muito forte".

Para Eric Dier, o seu ex-colega William Carvalho "tem lugar em qualquer equipa do mundo" e, quanto ao Sporting, desejou que os "leões" sejam campeões nacionais na nova época e garantiu que não vai representar outro clube português:

-"Sou do Sporting, por isso não me vejo a jogar num outro clube em Portugal".

Agosto de 2014

fonte.png

 

 

 

Pág. 1/4

Mais sobre mim

imagem de perfil

O Cantinho de Alkmaar

Por um Sporting fiel aos seus pergaminhos

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D